Foto: Reynaldo Brandão


 Pico do nível do rio Paraguai deve ficar em torno de 5,5 metros




















Quarto e último alerta de nível da enchente do rio Paraguai é lançado pela Embrapa Pantanal

    


O pesquisador Carlos Roberto Padovani, da Embrapa Pantanal, lançou na última semana o último alerta de nível da enchente do rio Paraguai para o ano de 2014. De acordo com o pesquisador, o nível do rio deve chegar a cerca de 5,5 metros em Ladário – a mesma medida que havia sido prevista no segundo alerta, mas com a data de pico do nível do rio atualizada para o final de junho.
 
Segundo Padovani, a divulgação do terceiro alerta (que previa uma possível máxima em torno de 6 metros no nível do rio Paraguai em função da quantidade de chuvas que caiu no Pantanal como um todo) foi necessária para que os ribeirinhos e pecuaristas da região estivessem preparados caso uma cheia dessa magnitude viesse. "Como essa influência não se concretizou no nível, ela deve influenciar a área alagada e a vazante do rio", afirma o pesquisador.
 
De acordo com Carlos, a vazante do rio Paraguai deve ser lenta, levando em média de um a dois meses para chegar aos 4 metros. Ele afirma que as próximas medições feitas pela Embrapa Pantanal e parceiros devem informar sobre os níveis dessa vazante e as épocas em que a baixada das águas deve acontecer. 
 
 
Abaixo, o texto integral do alerta publicado pelo pesquisador na página do Facebook Geohidro-Pantanal, mantida por ele, por colaboradores da Embrapa Pantanal e de outras instituições:
 
04 de JUNHO de 2014, 14:30 horas
 
QUARTO ALERTA DE NÍVEL DO RIO PARAGUAI EM LADÁRIO PARA 2014
 
O rio Paraguai deve alcançar o nível máximo em torno de 5,5 metros em Ladário, conforme o segundo alerta. Atualizamos a data para final de junho.
 
Esse será o último alerta sobre a enchente, ou sobre a subida do nível do rio Paraguai na altura da régua de Ladário. Um ou mais alertas ainda serão emitidos sobre a vazante do rio. Uma vez que o rio Paraguai alcance o seu nível máximo ou pico, é importante informar quanto tempo vai demorar e como vai se dar a descida das águas.
 
Foi necessária a divulgação do terceiro alerta devido à possibilidade do nível em Ladário chegar em torno de 6 metros, segundo as análises estatísticas, e pelo efeito que as chuvas fortes que caíram sobre o Pantanal na faixa de influência do rio Paraguai acima de Ladário e em outras regiões do Pantanal poderia ter para contribuir no aumento no nível do rio estimado para Ladário (veja o texto do terceiro alerta e a Nota Informativa de 29 de maio).
Porém, isso não se concretizou. Embora haja uma influência das chuvas locais e das águas trazidas por outras fontes, essa influência deverá se expressar mais para o aumento da área alagada e na demora da vazante do que para um aumento significativo no nível máximo em Ladário.
 
Está se formando, na região entre Ladário e Porto Esperança, o somatório da frente de inundação do rio Paraguai vinda do norte com as áreas já inundadas, devido às chuvas intensas que caíram sobre as suas várzeas e sobre outras regiões do Pantanal de MS, aumentando o nível de corixos e vazantes da região do Paiaguás e Nhecolândia, além do aumento de nível do rio Miranda (veja o terceiro alerta e Nota Informativa). Devido a esse encontro de frentes de inundação, essa região deve demorar mais para drenar ou vazar, podendo permanecer inundada por mais um a dois meses. Estaremos informando sobre a vazante depois do pico.
 
Os dados de nível dos rios utilizados no monitoramento, análises e estimativas são da Marinha do Brasil, Agência Nacional de Águas (ANA) e Serviço Geológico Brasileiro (CPRM). Veja os links para acesso a essas instituições aqui na Geohidro-Pantanal.
 
 
(Quarto alerta escrito por Carlos Roberto Padovani, pesquisador da Embrapa Pantanal)
 
Link da página Geohidro-Pantanal no Facebook:
 
 
 

Nicoli Dichoff (3252/SC) 
Embrapa Pantanal 
Telefone: +55 (67) 3234-5958