Foto: Reynaldo Brandão


 A Extensão São Luiz  oferece aulas há cerca de 30 anos na região




















Embrapa Pantanal entrega novas instalações da escola da Fazenda Nhumirim

    

Mais de 25 alunos – filhos de trabalhadores rurais que, muitas vezes, vêm de longe para estudar – participaram da inauguração do alojamento que deverá recebê-los durante os próximos períodos letivos. Eles estão matriculados na escola da Fazenda Nhumirim, a estação experimental da Embrapa Pantanal, localizada no Pantanal da Nhecolândia. Através de uma parceria com a Prefeitura de Corumbá, a Extensão São Luiz - vinculada à Escola Municipal Rural Polo Luiz de Albuquerque - oferece aulas da 1ª à 5ª série. No início deste mês, a Embrapa entregou o prédio que deverá hospedar as crianças enquanto estudam.

“Nós precisamos de pessoal que tenha conhecimento, seja capacitado pra que a gente possa transferir as tecnologias que a própria Embrapa desenvolve. E, ao longo do tempo, nós temos tentado melhorar a estrutura de recepção desses alunos”, afirma a chefe-geral da Embrapa Pantanal, Emiko Resende.

Com isso em mente, o prédio do alojamento foi inteiramente reformado pela Embrapa. Na estrutura das novas instalações há dormitórios separados para meninos e meninas, banheiros, área de serviço, varanda, cômodos individuais na área dos professores, cozinha e área de lazer. Toda a estrutura possui telhas termo acústicas, que afastam o calor no verão e o mantém no inverno. A obra fez parte de um contrato de reforma geral de oito imóveis funcionais e outras reformas da Embrapa Pantanal, que totalizou um investimento de R$ 664.267,79.

A Secretaria Municipal de Educação cedeu duas professoras e uma monitora para a escola; a Prefeitura fornece alimentação e material escolar. Já a Embrapa Pantanal, além de entregar o novo prédio, fará a manutenção da estrutura. De acordo com o secretário de produção rural Pedro Lacerda, que esteve na cerimônia de inauguração, a parceria é de grande importância para viabilizar educação de qualidade na região. “Escola é investimento, nunca um gasto”, diz o secretário. Para o vice-presidente da Câmara dos Vereadores, Carlos Alberto Machado, “isso é muito importante até para a preservação desse patrimônio mundial, que é o Pantanal”.

Izanil Marques Alves é uma das professoras da Extensão São Luiz e afirma que dá aulas na área rural por opção. “Educação, aqui, é você trazer a cidade para o campo”, conta. No caso da escola de Nhumirim, pode-se dizer que as crianças têm acesso à cidade sem ter que sair da fazenda. Segundo Soraia Silva Moraes, técnica do núcleo do campo na Secretaria de Educação, “eles não vão ficar só na sala de aula; eles têm árvores, onde a professora pode fazer uma dinâmica, um outro trabalho... eles têm o campo”.

Para o chefe adjunto de transferência de tecnologia da Embrapa Pantanal, José Aníbal Comastri Filho, “essa é uma forma de fixação dos peões, dos capatazes, à área rural. Ter uma escola para os seus filhos, que é o que mais almejaram para sua educação, é de grande importância”. E, em meio às comemorações de 41 anos da Embrapa em 2014, nada melhor que sentir os resultados da transferência de tecnologia na própria fazenda: “tem funcionário nosso que já estudou nessa escolinha e hoje, trabalha aqui. Fez concurso na Embrapa e passou”, afirma o supervisor de campos experimentais, Marcos Tadeu Borges.

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, órgão vinculado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, conta hoje com 47 unidades descentralizadas e 11 laboratórios no exterior com o programa Labex.